Notícias

CFO transfere sede para Brasília

cfo

CFO transfere sede para Brasília e marca início de novos tempos para a Odontologia

Presidente da entidade destaca que o Conselho precisa estar onde as decisões são tomadas, mais próxima por exemplo do Congresso Nacional.

O dia 23 de janeiro de 2018 entrou para a história do Conselho Federal de Odontologia. Neste dia, os 24 funcionários do CFO que não aderiram ao programa de desligamento voluntário (PDV) começaram a trabalhar na sede do Conselho Federal em Brasília. Eles se juntaram aos 11 funcionários empossados no 1° concurso público do CFO realizado no ano passado.

O CFO foi criado pela Lei nº 4.324, de 1964 e, na prática, sempre foi sediado no Rio de Janeiro. Nos anos que se seguiram à fundação do Conselho, fazia sentido estar no Rio. A antiga capital federal continuou a abrigar grande parte das matrizes das instituições da administração direta e indireta do governo federal, como, para citar o caso da maior empresa brasileira, a Petrobras.

Nos últimos anos, no entanto, órgãos de controle do governo federal orientaram os gestores do CFO a fazer a transferência para Brasília, onde encontram-se as demais sedes dos conselhos profissionais. Mas o que realmente motivou a atual administração a fazer a mudança para Brasília, postergada sucessivamente pelas diretorias anteriores, não foi, tão somente, a orientação dos órgãos de controle, mas sim, pelo fato de hoje Brasília ser o centro do poder político do país.

“Pelo bem da Odontologia, o CFO precisa estar onde as decisões são tomadas. É fundamental estar ao lado, por exemplo, do Congresso Nacional. Conseguimos articular no ano passado a criação de uma ampla Frente Parlamentar da Odontologia e é importante estar aqui em Brasília para reivindicar a aprovação de legislações do interesse da nossa categoria,” afirma Juliano do Valle, presidente do CFO. Ermensson Jorge, vice presidente do CFO, acrescenta: “Além da Câmara dos Deputados e do Senado, estão em Brasília o Ministério da Saúde, o Supremo Tribunal Federal, o Tribunal de Contas da União… Enfim, todo o poder federal está na capital e agora os gestores e colaboradores do CFO poderão participar ativamente dos diálogos públicos, capacitações e reuniões com representantes destas instituições.”

CONCURSO PÚBLICO

Após a dispensa dos funcionários que aderiram ao PDV porque optaram por não morar em Brasília, o CFO decidiu renovar seu corpo de funcionários por meio da realização de um concurso público, o primeiro na história de mais de 50 anos da instituição. A empresa que realizou o concurso público foi o Instituto Quadrix. O edital foi lançado no fim de março de 2017 e as provas aconteceram em 28 de maio e 4 de junho, em Brasília, com 22.741 candidatos, que concorreram a 34 vagas para 15 cargos.

Os salários para cargos de nível superior variam entre R$6.400 e R$7.500 e para os cargos de nível médio de R$2.000 a R$3.200.

“No primeiro trimestre deste ano serão convocados mais 20 novos funcionários aprovados no 1° concurso público do CFO. Toda transferência de local de trabalho requer alguns meses para organização, acomodação de toda documentação e adaptação dos funcionários à nova sede, mas com a experiência dos colaboradores que já atuavam no CFO aliada à juventude dos concursados não temos dúvidas de que vamos prestar um atendimento de excelência aos CROs, aos profissionais da Odontologia nacional e à sociedade brasileira”, afirma Ermensson Jorge.

Seria preciso mais espaço para detalhar o que a Direção atual fez em apenas um ano e meio à frente do CFO. Só para citar uma iniciativa, entre várias outras, esta gestão incrementou o Portal da Transparência do CFO.

Os inscritos e qualquer cidadão passaram a ter acesso a todas as informações da gestão administrativa do Conselho Federal, inclusive atas de reuniões; contratos e convênios; licitações; nomes, cargos e salários dos colaboradores; planos de ação e planejamento estratégico; e informação contábil sobre o pagamento de diárias, jetons, verbas de representação, passagens aéreas, ajudas de custo e auxílios financeiros.

A nova sede, com instalações e equipamentos modernos, e um corpo profissional revigorado marca o início de uma nova era no CFO, caracterizada pelas boas práticas na administração pública e defesa intransigente dos interesses da categoria e da ética na Odontologia.

Em tempos de crise, os desafios para a categoria não são pequenos, mas os cirurgiões-dentistas podem contar com um CFO renovado e fortalecido, cujas portas, agora na capital federal, estão sempre abertas a todos os profissionais da Odontologia e da sociedade como um todo.




Mais notícias