Notícias

3ª Edição do conteúdo da Live exibida dia 22/04 – Biossegurança para o Cirurgião-Dentista em tempos da Covid-19

3edicao-live-biosseguranca-covid19-cirurgiao-dentista-inner-img

(com o médico infectologista Dr. Marcelo Ducroquet)

Como aumentar a Biossegurança nos consultórios para evitar a contaminação com o Coronavírus?
É recomendável fazer a triagem prévia por telefone para saber se há pessoas na casa do paciente com sintomas respiratórios ou que apresentem tosse e/ou febre. No consultório, disponibilizar álcool em gel 70%, criar um espaço para que os pacientes se sentem separados, reforçar a necessidade do uso de máscara e oferecer o acessório para quem não tem. Se não houver espaço físico, separar os pacientes por horário de atendimento; reforçar para que ele vá sozinho e que chegue no horário marcado para que não encontre outro paciente. Também é recomendado agrupar os pacientes conforme grupo de risco – escolher dias da semana em que apenas os idosos, por exemplo, sejam atendidos de forma bem espaçada. Uma medida adicional é fazer a medição da temperatura do paciente com termômetro infravermelho.

Quais são as formas de transmissão do Coronavírus para os profissionais de Odontologia?
O que diferencia o Coronavírus de outros vírus como HIV e hepatite C é a facilidade de transmissão. Além da transmissão por gotícula, que viaja até dois metros quando a pessoa tosse ou fala, e pelo contato com superfícies que estão contaminadas, uma terceira pode acontecer durante o tratamento odontológico. O uso de fluxos de ar em alta velocidade para secagem ou aspiração pode gerar partículas muito finas de saliva que podem permanecer no ar por até 3 horas e não são filtradas pela máscara cirúrgica.




Mais notícias